Sou psicanalista e psicóloga perinatal e parental. Doutora e Mestre em Família (Ucsal).

Trabalho com famílias há mais de 13 anos. Desse trabalho resultaram dois livros O pai: uma função em declínio e A tristeza comum da mãe: reflexões sobre o estado psíquico do pós-parto.

O contexto do universo materno e paterno é um constante na minha prática clínica e nos meus estudos acadêmicos e profissionais.

Atualmente continuo envolvida com os atendimentos clínicos e pesquisas relacionadas à mãe e à mulher em diversos momentos de suas maternidades e de suas vidas, e ao longo da história, numa busca constante em desmistificar padrões e ressignificar o ideal de mãe.

...Acredito que cada pessoa é única. Possuem seus conflitos e personalidades, recursos particulares de lidar com eventos que surgem ao longa da vida. E são esses seres únicos que se tornam pai e mãe. Cada um com sua história pessoal. Fazendo da experiência paterna e materna algo bem particular. 

A forma que cada um realiza sua parentalidade é, portanto, igualmente única! E nesse campo não existe certo e errado, mas aquilo que é possível para cada um.

Fernanda Leal